É possível tratar nossos esportes como projeto?

Os frameworks e as ferramentas utilizadas para o gerenciamento de projetos podem ser aplicados em situações do dia-a-dia, facilitando como os problemas são tratados e as dificuldades enfrentadas. Para esclarecer esta afirmação basta associar a gestão de projetos com a prática esportiva.

Vejamos como seria a visão de um profissional do gerenciamento de projetos que vai participar do MovimentaGP do PMI-MG, no dia 08/10 as 08:00 hrs, na Pampulha.

O objetivo do projeto é a completar uma corrida de 8km na Pampulha. Como premissa será adotado que o profissional dispõe de boa saúde e não tem restrições físicas. Uma boa opção para este profissional seria identificar e envolver os principais stakeholders desse projeto: esposa, filhos, amigos, treinador, colegas de trabalho, enfim, qualquer pessoa que vá contribuir ou incentivar para que seja possível alcançar o resultado do projeto. O próximo passo é avaliar os recursos necessários: um bom tênis, uma roupa adequada, inscrição na corrida, etc.

Mesmo sem conhecer todos os passos e detalhes sobre o treinamento, pode ser feita uma priorização do que é mais importante agora, isso é gestão ágil. Conversar com os stakeholders para definir frequência de treino e visão de sucesso sobre a prova é uma excelente forma de evitar expectativas irrealistas e compartilhar conhecimento e aprendizado.

Agora é hora de executar o que foi planejado, sempre buscando adaptação às inevitáveis mudanças e imprevistos.

Corrida encerrada, é hora de comemorar com os stakeholders e avaliar as lições aprendidas, sempre em busca de melhorar a performance.

A execução de um projeto não requer necessariamente amontoados de documentos ou análises complicadas, trata-se de envolver as pessoas e priorizar esforços para que não falte fôlego na reta de chegada.

Vai perder a chance de executar esse projeto?

Não quero perder esse projeto

 

Publicado em 27 de setembro de 2017 por admin em Sem categoria

Destaques